marcelo-batista-entrevista-trajeto-lapa-eleicao-2016

O candidato Marcelo Batista tem 47 anos. É casado há 20 anos com a Gesiani Pierin Batista e pai de dois filhos, o Vinícius e o Caio.

Marcelo é advogado formado há 23 anos na Faculdade de Direito de Curitiba e empresário. Foi presidente da OAB Subseção da Lapa, no biênio 2007/2009,  presidente do Conselho da Comunidade e membro do Conselho de Segurança da Lapa.

Como presidente da OAB/Subseção da Lapa, sua contribuição, em conjunto com a diretoria, foi efetivar a doação do terreno para a construção do novo Fórum da Justiça Estadual e Eleitoral da Lapa. Em razão da construção do novo prédio foram instaladas a Vara de Família.

Ele é o mais jovem dos candidatos a prefeito e disputa uma eleição pela primeira vez.

Na edição de agosto, o Trajeto Lapa publicou entrevistas com os quatro candidatos que concorrem à prefeitura da Lapa nas Eleições 2016, que agora são reproduzidas no on-line.

Entrevista

Sobre a saúde no interior, há propostas para melhorar as condições de atendimento? Não tenho medo em dizer que a Saúde será umas das minhas prioridades. Para que o povo do interior não precise madrugar e ficar horas na fila, vamos garantir o atendimento dessas pessoas com consultas pré-agendadas por telefone. Outro ponto importante é a reativação dos atendimentos médicos em todas as localidades do interior. Reabrindo os postinhos de saúde, aumentando as equipes de saúde da família.

Como pretende resolver o problema de sobrecarga no atendimento na UPA? As equipes de plantão estão sobrecarregadas, não vencem atender o povo, tranformando a UPA em atendimento ambulatorial, descaterizando seu papel, que é atendimento de urgência e emergência. Por isso temos como compromisso, reabrir os postinhos de saúde, e criar o terceiro turno no Centro de Saúde, na Pediatria e na Odontologia, que vai funcionar das 19h às 23h. E que para UPA possa prestar um melhor atendimento, vou ampliar o número de médicos e enfermeiros plantonista, inclusive com a contratação de médico pediatra.

A Segurança Pública tem tirado o sono da população. Sabe-se que esta é uma atribuição do Estado, mas, na realidade, é o município que sofre com a insegurança. Como pretende solucionar o problema, já que na Lapa não há verba municipal destinada para isso? Sou lapeano 365 dias por ano e estou preocupado com a segurança pública da Lapa, pois os recentes acontecimentos policiais tem gerado medo e inseguranca. Sabemos que Segurança Pública é responsabilidade direta é do Estado. Acontece que não dá para ficar parado sem fazer nada. Precisamos urgente de uma prática de prevenção da criminalidade. E para isso, vou exigir do governo um aumento do efetivo policial, em toda a Lapa, com patrulhamentos mais constantes. Precisamos governo municipal e sociedade civil, criar o Fundo Municipal de Seguranca, que poderá receber verbas previstas em orcamento e também de pessoas físicas e jurídicas.

As equipes gerenciais da prefeitura são o coração da administração, embora nem sempre seja possível aproveitar o quadro de servidores. Como pretende formular as secretarias, diretorias e assessoria da prefeitura da Lapa? Nós temos pessoas muito competentes em diversas áreas, que podem muito bem ocupar cargos de gestão. Não tenho dúvida de que essas pessoas são capazes de me auxiliar na prefeitura para desenvolver um excelente trabalho. Afinal, são eles os responsáveis pelo atendimento direto da população. Mais ainda, com a valorização do quadro próprio de servidores podemos diminuir os cargos em comissão e encontrar melhores destinos para essa verba que seria gasta com folha de pagamento.

Como pretende resolver o problema de arrecadação do município? Temos que fomentar campanhas para movimentar o comércio, promover a infraestrutura da cidade para atrair empresas, valorizar as empresas que já estão na Lapa. Outro ponto importante é administrar os recursos adequadamente, para que os investimentos na Lapa tragam o retorno esperado, com mais qualidade nos serviços prestados à população. Dessa forma, faremos com que os lapeanos também se motive a ficar na cidade. A soma dessas ações é que colocará mais uma vez a Lapa nos trilhos do crescimento.

Como pretende potencializar o agronegócio, responsável por grande parte da arrecadação? A grande força da economia do município está nas mãos dos produtores rurais. Eles precisam de todo o apoio da prefeitura, tanto na parte de infraestrutura como também na orientação e capacitação para aumentar a geração de renda. Dessa forma, vamos trabalhar forte na conservação das estradas e na busca de parcerias para que eles mantenham a força da produção e ampliem a presença dentro do mercado do agronegócio. Vamos criar a Secretaria do Agronegócio e Desenvolvimento Econômico, que vai absorver a Secretaria de Agricultura, de forma que possamos direcionar ações pensando no giro da economia e nas melhores formas de aproveitar o potencial dos produtores rurais.

No interior, há propostas para facilitar a instalação de rede de internet? A proximidade com a tecnologia é um pedido de todos, não só do interior. Nós temos planos de icluir a Lapa em um programa digital para disponiblizar internet gratuita em locais públicos e levar mais qualidade de internet para o interior.

Na Educação, como equilibrar o custo da folha de pagamento dos profissionais com a necessidade de investir em infraestrutura, esporte e atividades de contraturno, sabendo que a Lapa trabalha no limite das suas contas públicas? Meu primeiro passo será honrar com todos os compromissos da prefeitura com o funcionalismo da área da Educação. Esses profissionais precisam estar motivados. Sabemos do excelente trabalho que eles fazem, mas primeiro precisamos garantir a sua valorização. A segunda coisa a fazer é ouvir o que eles têm a dizer sobre os problemas de infraestrutura e que área tem mais urgência de investimento. Com isso, poderei avaliar a melhor forma de destinar recursos sem desequilibrar as contas públicas.

Como pretende resolver a falta de qualificação da mão de obra, fator importante para atrair indústria? Para isso, trabalharemos em conjunto com as indústrias para enteder a principal demanda. Depois, vamos buscar parceiras com orgãos como o Senac, Sebrae, Senai e Sesi para trazer programas de capacitação, mantendo, é claro, os que já existem.

A Lapa tem potencial turístico, mas até hoje, ninguém trouxe uma proposta concreta para se desenvolver de maneira sustentável na Lapa. A maioria dos projetos são efêmeros e paliativos. Qual é a proposta para o Turismo passar a integrar agenda definitiva na cidade? Como prefeito, eu quero aproveitar o potencial da Lapa melhorando a infraestrutura das atividades turísticas, mantendo um calendário anual de eventos, adequando os acessos e melhorando a qualidade do produto para o turista. A ideia é criar novas oportunidades para geração de empregos. Precisamos diversificar a economia da Lapa e o turismo é uma boa alternativa.

Foto assessoria
____________
Publicidade
lapavel-veiculos-lapa-parana-tel-3622005-rodape